Salvador Sobral – a força da diferença

In Entreternimento, Estilo by Raquel PLeave a Comment

Pela primeira vez na história da Eurovisão, a canção vencedora é cantada em português. Simples, singular, sentida e… diferente.

Acompanho este festival desde criança. Ouso afirmar que já teve muito mais graça do que tem hoje em dia. A partir de uma certa altura, a Eurovisão banalizou-se. De repente as melodias eram as mesmas e quase todas acompanhadas de letras inglesas, mesmo que o inglês não fosse a língua do país que representavam. Nesse aspeto, tiro o chapéu com as duas mãos a Portugal, que jamais cedeu à tentação de cantar em inglês. Mesmo após participações em que não obtínhamos um único ponto, as letras sempre foram na língua de Camões.

Talvez Amar pelos Dois não seja a melhor canção de sempre que Portugal levou ao festival. Porém, num mar de canções tão parecidas e que pouco ou nada levavam de novo, esta canção levou aquilo que há muito fazia falta na Eurovisão: uma lufada de ar fresco. Uma melodia diferente de toda a pop que tem ído ao festival e mais suave do que os ritmos pobres que (salvo algumas exceções) começam a ser o ex-libris do geral da Eurovisão, interpretada por uma voz diferente, com uma atitude diferente.

Foi na diferença que residiu a força de Portugal através da voz peculiar de Salvador Sobral e na letra simples, mas sentida, composta por Luísa Sobral, irmã do cantor. Por isso, parabéns Salvador e Luísa. Por serem dois diamantes a brilhar num manto de carvão. Reveja:

Imagem do cabeçalho: cortesia de http://f5.folha.uol.com.br/colunistas/tonygoes/2017/05/cantor-portugues-vence-eurovision-com-qualidade-musical-e-torcida-de-famosos.shtml

Leave a Comment