5 dos autores portugueses mais famosos

In Estilo, Muito Interessante by Raquel PLeave a Comment

Há quem diga que ler é viver outras vidas, é viajar sem sair de casa e é simplesmente aprender ou distração. Quem assumidamente devora livros (como é o meu caso) sabe que um livro é uma excelente companhia e que, por vezes, nem sempre há tempo para lermos todos os livros que gostaríamos de ler. São imensos os autores e poetas que a História conheceu e admito que tenho mais tendência para os escritores anglófonos. No entanto, gostaria de, hoje, focar-me em 5 dos autores portugueses mais famosos.

Poderá ser discutível de acordo com as preferências de cada um. No entanto, fiz alguma pesquisa e concluí que os autores em baixo são dos mais lidos de sempre em Portugal e também no estrangeiro. Confesso que não os li a todos, apesar de ter curiosidade, mas um dia hei-de lê-los de certeza. Ei-los em baixo.

José Saramago
José Saramago

Imagem: cortesia de www.famousauthors.org

O facto de ter sido Prémio Nobel em 1998 – até agora o único escrito português que o conseguiu – diz quase tudo. José Saramago, falecido em 2010, continua a ser dos autores preferidos de muitos portugueses. O seu primeiro romance, Terra do Pecado, foi publicado em 1947, mas foi apenas a partir de 1976 que passou a viver exclusivamente dos seus trabalhos literários. Até então havia sido diretor literário, crítico literário, jornalista e até desenhador.
A sua obra mais polémica, O Evangelho segundo Jesus Cristo, que provocou mal-estar entre o governo português e a Igreja Católica, fê-lo tomar a decisão de se instalar em Lanzarote, nas ilhas Canárias, até ao final dos seus dias, com a sua esposa, Pilar del Río. A Fundação José Saramago, na Casa dos Bicos em Lisboa, procura promover a cultura em Portugal assim como a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

José Rodrigues dos Santos
José Rodrigues dos Santos

Imagem: cortesia de ionline.sapo.pt

Um dos melhores e mais famosos jornalistas portugueses, José Rodrigues dos Santos conheceu igual reputação como romancista. O seu primeiro romance foi A Ilha das Trevas, mas o seu segundo título, A Filha do Capitão, foi a obra que o catapultou para a fama enquanto autor. As suas obras baseiam-se em eventos da História Portuguesa e o personagem Tomás de Noronha, professor universitário e criptologista, está presente em vários dos seus romances, como O Codex 632, A Fórmula de Deus e Fúria Divina. José Rodrigues dos Santos ofere ao seu público pelo menos uma obra por ano e é também bastante conhecido no estrangeiro, nomeadamente em Espanha, Itália, Grécia, Holanda e até nos Estados Unidos. Entre outros, ganhou o Prémio Clube Literário do Porto (com Fúria Divina em 2009) e o Prémio de Melhor Romance do Portal da Literatura (com A Mão do Diabo em 2012).

Miguel Sousa Tavares
Miguel Sousa Tavares

Imagem: cortesia de www.santohuberto.com

Filho da poetisa Sophia de Mello Breyner Andersen, Miguel Sousa Tavares, advogado de profissão, conheceu enorme fama enquanto escritor com o seu primeiro romance, Equador, publicado em 2004. Equador vendeu cerca de 370.000 exemplares só em Portugal, chegou a esgotar nalgumas livrarias e foi adaptado a uma série de televisão em 2008. Autor algo polémico devido às suas afirmações sobre as touradas e os direitos dos fumadores, desenvolveu também trabalhos como comentador televisivo e desportivo. Em 2007 recebeu o Prémio de Jornalismo e Comunicação Victor Cunha Rego.

António Lobo Antunes
António Lobo Antunes

Imagem: cortesia de quotesgram.com

É um dos autores portugueses mais ativos, com uma lista de obras tão vasta quanto os prémios que já ganhou. Entre os quais contam-se o Prémio Juan Rulfo, atribuído em 2008. Licenciado em Medicina, com especialização em Psiquiatria, Lobo Antunes frequentemente baseia as suas obras nesta especialidade. As suas temáticas abordam as relações conjugais, divórcios, incompatibilidades e desencontros. Conheceu fama internacional em 1990 com Tratado das Paixões da Alma, o primeiro volume da trilogia Ciclo de Lisboa, que também inclui A Ordem Natural das Coisas e A Morte de Carlos Gardel, respetivamente. Esta trilogia é de cariz pessoal, pois retrata a infância e adolescência do autor e as suas relações com os seus amigos e familiares.

José Luís Peixoto
José Luís Peixoto

Imagem: cortesia de www.voltaaomundo.pt

Licenciado em Língua e Literaturas Modernas (Inglês e Alemão) pela Universidade Nova de Lisboa. Um dos mais recentes autores portugueses, José Luís Peixoto começou a dedicar-se exclusivamente à literatura e à poesia a partir de 2000. Apenas um ano mais tarde, a sua obra Nenhum olhar valeu-lhe o Prémio Literário José Saramago e foi incluído na lista do jornal inglês Financial Times como um dos melhores livros publicados em Inglaterra em 2007. Também em 2007, o seu romance Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, como melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. As suas obras estão traduzidas em vinte línguas, vendem-se em mais de 60 países e são frequentemente estudadas em diversas universidades nacionais e estrangeiras.

Concorda? Já leu algum destes autores? Quais as suas obras preferidas? Partilhe as suas preferências connosco.

Entradas relacionadas:

Portugal nos Jogos Olímpicos

E o Sonho é Real

Dentro e Fora do Campo – Alguns dos Melhores Jogadores Portugueses

Leave a Comment